“Se tiverem uma oportunidade, agarrem-na!” – AJAP

Firmino Cordeiro, Engenheiro Agrónomo e Diretor Geral da AJAP – Associação de Jovens Agricultores de Portugal, representa a parceria com a Escola Técnica Profissional da Moita, nomeadamente com o curso Técnico de Produção Agropecuária.  Licenciado em Engenharia Agrícola, Firmino Cordeiro é um profissional ligado à AJAP,  já há mais de 15 anos.

“Tornei-me um jovem agricultor e liguei-me à organização que já conta com 38 anos de vida, com um total de 45 técnicos distribuídos pelo país. Além desta ligação ao corpo técnico, temos ainda cerca de 80 entidades protocoladas com a AJAP, na recolha de candidaturas aos agricultores e outros processos de assistência técnica e de acompanhamento.” – conta-nos o Engenheiro

Existe uma ligação próxima às escolas profissionais de agricultura, no sentido de alertar os jovens para o ensino profissional, ficando com uma preparação mais direcionada a esta atividade. Motiva os jovens para a diversidade na formação e afirma que é importante que os pais e encarregados de educação saibam que esta oferta existe e quais as suas vantagens..

Nunca desistam dos vossos sonhos e, se tiverem uma oportunidade, agarrem-na!

É importante seguir a agricultura e ter uma bagagem técnica que suporte uma empregabilidade de nível superior. A agricultura foi uma das poucas atividades que, com a pandemia, não parou. Ser um Jovem com sucesso é importante. Ser um Jovem Agricultor de sucesso é crucial!

Entrevista a Engenheiro Firmino Cordeiro

Diretor Geral da Associação de Jovens Agricultores de Portugal

Laboratório de Desenvolvimento de Variedades Regionais

A Escola Técnica Profissional da Moita aposta na inovação e na rentabilização dos seus projetos, motivando assim os jovens que nele participam, colaboram e aprendem. 

A Quinta Pedagógica do Castanheiro agrega, neste momento, um Laboratório de Desenvolvimento de Variedades Regionais, orientado pelo Eng.º  José Nuno Caninhas e pelo Eng.º João Limão. Trata-se de um projeto que tem como objetivo principal produção e melhoramento de frutos e hortícolas de origem regional, ou comprovadamente adaptados, com vista à sua promoção e comercialização, assim como, a sua utilização na criação de novos produtos, com base na sua transformação. Este Laboratório destaca ainda a consolidação das aprendizagens e desenvolvimento de competências técnicas dos alunos do curso Técnico de Produção Agropecuária.

Desde os tempos mais remotos, provavelmente ainda antes da própria nacionalidade, que a região a sul do Tejo tem uma forte ligação à agricultura e à pecuária. O seu posicionamento geográfico, e as suas condições edafoclimáticas, fizeram desta zona, umas das principais fontes de abastecimento de hortofrutícolas para a capital. Nos dias de hoje, vários são os concelhos que ainda detém uma importante quota de produção em determinados produtos. Esta antiguidade fez com que aqui nascessem várias variedades de frutas e legumes, assim como, outros que não sendo oriundos daqui, se adaptassem como em mais nenhum outro local. No tempo em que vivemos, torna-se imperativo a preservação destes produtos locais, cada vez mais valorizados pelos profissionais do sector da restauração, assim como, pelos consumidores. – lê-se no enquadramento do projeto

A Quinta Pedagógica do Castanheiro constitui uma ferramenta essencial para a vertente técnica dos alunos do curso Técnico de Agropecuária mas não só, é um local de aprendizagens e contacto com a natureza e com os animais e que permite aos jovens e, igualmente, às crianças do Colégio Corte Real , desenvolverem variadíssimas capacidades e competências. 

Além de tudo isto, a Quinta ainda nos permite momentos de reflexão e de meditação com excelentes finais de tarde, a todos os que por ela passam!

A Tua Primeira Empresa

A Escola Técnica Profissional da Moita apresenta a sua oferta formativa para o ano de 2021-2022. Cursos diversificados que vão de encontro ao que se espera no mercado de trabalho mas também é uma oferta que permite ao jovem prosseguir estudos. Aqui, nesta escola, a base de todos os projetos é o aluno, o trabalho em equipa, o desenvolvimento de competências técnicas, o desenvolvimento de competências transversais, é tudo realizado para o jovem e com o jovem.

Os cursos profissionais para pré-inscrição são os seguintes: Técnico Auxiliar de Saúde, Técnico de Ação Educativa, Técnico de Comunicação e Serviço Digital, Técnico de Produção Agropecuária,Técnico de Restaurante-Bar, Técnico de Cozinha-Pastelaria e Técnico de Soldadura.     

Se o jovem tem o 9.º ano de escolaridade concluído, se o jovem pretende apostar numa carreira de sucesso e concluir o nível secundário, e ter uma certificação profissional, esta é a escolha certa, a Escola Técnica Profissional da Moita olha para ti com a proposta de  um futuro brilhante. Cria o teu caminho connosco e entra com pé direito Na Tua Primeira Empresa, onde se encontram as melhores condições para o desenvolvimento de projetos de carreira.

Aqui, na ETPM aprende-se com os melhores profissionais e junto das melhores instituições e empresas que colaboram connosco no plano de formação dos alunos, empresas pedagógicas e parceiros são elementos fundamentais para a formação técnicas e para a inovação das acompanhamento da atualização de cada área.

Saiba mais sobre o nosso projeto em www.escolaprofissionalmoita.com               

A Questão é o SER

O que é Ser Professor ETPM? O que significa ser a essência da Escola Técnica Profissional da Moita? A questão não é “o fazer parte” mas sim “o ser” alguém que se transforma numa instituição…

O professor, munido das suas competências pessoais, técnicas e profissionais, reflete sobre as suas práticas pedagógicas, privilegiando o trabalho colaborativo como elemento essencial e promotor de partilha de conhecimento e enriquecimento de saberes e experiências. Tem a função específica de ensinar, recorrendo à investigação e reflexão sobre a prática educativa, fomentando a autonomia no aluno, promovendo a qualidade dos contextos educativos….Poderíamos avançar com o texto uma vez que ser professor é mais do que aqui está escrito. 

Mas… e Ser Professor ETPM? É isto, aquilo e muito mais!

A missão está aqui, no Ser… Participar, colaborar, partilhar no processo de ensino-aprendizagem é o que se propõe a fazer mas o desafio está no Ser, na capacidade de um profissional se transformar nesta instituição, na vontade de construirmos um futuro para todos e com todos porque o aluno também o é – Ser ETPM é uma forma de estar, de sentir e de agir. Assim, Ser (Professor) ETPM acaba por ser uma atitude transversal a todos os que aqui estão e connosco colaboram. No fundo é um desafio completo e intrínseco que se estende à nossa comunidade educativa.

Ser Professor ETPM é….

Emoção e entrega; dádiva e paixão; é partilha e dedicação; trabalho e esperança. (Celeste)

Saber trabalhar em equipa. (Cristina)

Ter a coragem e a ousadia de melhorar todos os dias. (Marta)

Não deixar ninguém para trás; é uma missão, um desafio que passa por vocação, desbravamento e termina em festa. (Sérgio)

Pescar em alto mar com um barco a remos, um canivete e um rolo de fio de pesca…e trazer uma tonelada de peixe. (João F)

Construir estradas para que os nossos miúdos sigam os seus próprios caminhos. (Alexandra)

Apontar caminhos, deixando o aluno caminhar pelo seu pé. (Susana)Ensinar e aprender onde o currículo é o aluno. (André)

O Mercadinho da Quinta voltou… agora digital!

O Mercadinho da Quinta voltou… agora digital! Mais fácil, cómodo e rápido. Adquira o CABAZ DO CASTANHEIRO, com os excelentes produtos da Quinta Pedagógica do Castanheiro.

Achavam que era o Covid 19 que iria impedir os alunos do Curso Técnico de Produção Agropecuária de levar a cabo o Mercadinho da Quinta? Claro que não!

O primeiro Mercadinho da Quinta do ano letivo 2020/2021 realizou-se na passada sexta feira, dia 04 de dezembro. Desta vez, para assegurar a segurança de todos, as encomendas são realizadas através da internet. Os nosso jovens adaptam-se ao contexto atual e não param.

À saída do Campus ETPM encontravam-se os alunos do 12.º ano do Curso Técnico de Produção Agropecuária, para entregar o Cabaz do Castanheiro a quem o encomendou dias/horas antes. Não encomendou o seu? Calma… Ainda o poderá fazer. Quer aproveitar? Acompanhe as nossas redes sociais para aceder ao formulário de encomenda.

A Vinha do Castanheiro vai avançar

A Quinta Pedagógica do Castanheiro, gerida pelo Professor João Barrona, na Escola Técnica Profissional da Moita, continua a dar frutos e é considerada uma ferramenta fundamental para  o desenvolvimento de competências técnicas dos jovens do curso Técnico de Produção Agropecuária. O próximo projeto prende-se com a criação da Vinha do Castanheiro, a partir do início do próximo ano.

“Não é só um sonho, é um projeto que estamos a preparar há algum tempo e que agora vamos aplicar!”, afirmou o Professor Barrona que vai orientar a preparação da vinha, com os alunos do 12.º ano, apoiado pelos jovens do 10.º e 11.º anos. Neste momento, o estudo do solo é muito importante, como o estudo do clima, de forma a perceber que castas são as mais adequadas ao local e que práticas deverão ser utilizadas na cultura da vinha. Isto é um ótimo ponto de partida para o desenvolvimento dos conteúdos técnicos dos nossos jovens.

Quanto às videiras, estacas e postos, estamos incentivar a participação de vários sponsors para que colaborem connosco na construção desta vinha  e na formação de jovens que se preparam para o mundo do trabalho. Uma mais valia para a comunidade escolar e para as entidades que pretendam avançar numa colaboração para bons resultados numa futura Vinha do Castanheiro. 

A fase de preparação e implementação do projeto vai ter a colaboração do Engenheiro Luís Cordeiro do Instituto Superior de Agronomia e também na orientação dos nossos alunos nas operações de mobilização.

Para mais informações sobre colaborações e parcerias, por favor, contacte-nos através do email joao.barrona@escolaprofissionalmoita.com ou através do telefone 935 482 636.

Bar e Agropecuária visitam grandes empresas vitivinícolas

Os jovens ETPM de Restaurante-Bar e de Produção Agropecuária tiveram dois dias intensivos de visita e reflexão sobre a indústria vitivinícola, ao conhecerem as instalações de algumas das melhores empresas de produção de vinho, em Portugal. A importância das vinhas, as técnicas utilizadas na produção e comércio, a história de cada empresa e o sabor diferenciado de cada produto. Muito agradecemos a Adega da Bacalhôa, Adega Fernão Pó, Adega José Maria da Fonseca e Casa Ermelinda Freitas que muito bem nos receberam.

Adega da Bacalhôa

Os alunos visitaram a Bacalhoa, uma das maiores e inovadoras empresas vinícolas em Portugal tendo oportunidade de conhecer a sua história bem como as técnicas vitivinícolas, produção e comercialização.

Presente em 7 regiões vitivinícolas portuguesas, possui um total de 1200 hectares de vinhas, 40’quinyas, 40 castas diferentes e 4 adegas ou centros vínicos. Sob a égide do projeto “Arte, vinho e paixão”, os alunos conheceram todo o processo desde as vinhas ao vinho quando é servido num ambiente que inclui tradição e modernidade, com exposições artísticas diversas, da pintura à escultura, nunca esquecendo obras naturais.

Adega Fernão Pó

Os alunos visitaram esta adega familiar, ligado à produção de vinho há gerações. Fundado nos anos 40 por Aníbal da Silva Freitas, possui hoje cerca de 70 hectares de vinhas próprias.

Aqui, recebidos por Isabel Palhoça, os alunos puderam conhecer as vinhas que se encontram divididas em pequenas quintas de areias macias, a cobrir o solo de barro. Este tipo de solo aliado ao microfilma temperado, proporciona a colheita de uvas que originam vinhos de boa estrutura, corpo, cor e aromas. Houve também tempo para se falar de castas, nomeadamente a Castelão, casta de eleição da região. Por fim, na visita à adega, os alunos conheceram os aspetos relativos ao processo de fabrico de vinho, neste caso, com capacidade de transformação de 1000 toneladas de uvas.

Adega José Maria da Fonseca

Os alunos tiveram oportunidade de conhecer a história da família, com quase dois séculos, que tem criado vinhos conhecidos nacional e internacionalmente. Fundada em 1834, esta empresa é uma das líderes nas áreas de produção e comercialização de vinhos de mesa, encontrando-se atualmente em mais de 70 países. Os alunos ficaram a conhecer as diferentes vinhas, as suas localizações, diferentes condições climatéricas, exposição solar e tipo de terreno, as diferentes opções técnicas com o intuito de maximizar o potencial qualitativo de cada vinho.

Casa Ermelinda Freitas

Nesta visita, os alunos visitaram uma vinha pedagógica, onde tiveram contacto com as diferentes variedades de castas como a trincadeira. Touriga Nacional, Aragonês, entre outras.

Com 440 hectares de vinha, a adega encontra-se apetrechada com a mais moderna tecnologia que alia o tradicional e o moderno, integrando num mesmo espaço um conjunto de áreas distintas que vai desde a produção ao estágio em barricas de Carvalho e engarrafamento de vinhos. Esta empresa familiar, privilegiadamente gerida por mulheres tem a capacidade de para fermentação de 8 milhões de litros em cubas de inox com temperatura controlada.

Bullying, Violência no Namoro e Consumo de Drogas

No passado dia 5 de fevereiro, a turma do 10.º ano do Curso Técnico de Produção Agropecuária recebeu a Guarda Nacional Republicana, no âmbito do programa Escola Segura.

O objetivo desta intervenção foi a sensibilização destes jovens para os temas do Bullying, Violência no Namoro e o Consumo de Drogas.

No final da sessão, a turma comprometeu-se a organizar uma ação de sensibilização para os seus colegas das turmas do 10.º ano para o tema do Bullying e explicar como rapidamente uma brincadeira passava para uma situação mais séria.

Desafiamos outra(s) turma(s) para os outros 2 temas, que achamos igualmente importantes. Aceitas o desafio?

Mercadinho da Quinta!

 Mercadinho da Quinta tem sido um sucesso na nossa escola! Resultado de um projeto desenvolvido na área técnica, os alunos do curso Técnico de Produção Agropecuária organizam-se num Mercadinho e apresentam os produtos que cultivam na Quinta Pedagógica do Castanheiro.

A Quinta Pedagógica do Castanheiro é o espaço pedagógico utilizado para os jovens aplicarem as competências desenvolvidas na vertente técnica do curso. A maioria dos produtos são utilizados na cozinha da escola e Colégio Corte Real, adotando uma forma sustentável de crescimento deste projeto.

No Mercadinho da Quinta, os alunos trabalham também competências transversais e na componente científica, trabalham igualmente a disciplina de Matemática.

Quando vejo esta Lisboa

Compreender Fernando Pessoa através de um passeio exclusivo pelas ruas de Lisboa, foi a forma encontrada pela turma finalista do curso Técnico de Produção Agropecuária quando participaram na atividade “Quando vejo esta Lisboa”, realizada no passado dia 23 de janeiro.

A atividade “Quando vejo esta Lisboa” é promovida pela Casa Fernando Pessoa e consiste num percurso pedestre onde os jovens percorrem os lugares que marcaram o poeta. Começando pelo sítio onde Fernando Pessoa nasceu, passando pelas várias zonas da Baixa e do Chiado. Não se trata apenas de um passeio por Lisboa mas também pela vida e obra do poeta.

Os alunos foram desafiados ainda a registar as ideias, imagens ou detalhes para construírem um mapa personalizado das suas experiências