Jovens em Mobilidade na Madeira

No âmbito do projeto piloto Qualificar para Crescer – Pestana Hotel Group & ETPM, o 10.º ano do Curso Técnico de Cozinha/Pastelaria e do Curso Técnico de Restaurante/Bar seguiu em mobilidade para a Madeira, até dia 15 de junho.

Os jovens realizam a mobilidade, enquadrada nos objetivos e nas metas curriculares dos respetivos cursos, cumprindo um programa intensivo de formação teórica e prática nas unidades hoteleiras do Pestana Hotel Group.

Experiências únicas para estes jovens que, orientados por profissionais de alta, aprendem in loco técnicas específicas de cada área, além de terem oportunidade de visitar locais diferentes e outras tradições. Com a mobilidade, os jovens garantem sentir-se mais responsáveis e autónomos, traçando objetivos para o desenvolvimento da sua formação.

Autonomia e Flexibilidade Curricular na Fundação Alentejo

A Escola Técnica Profissional da Moita deu mais uma vez o seu contributo numa sessão de trabalho sobre “Flexibilidade e Autonomia Curricular no Ensino Profissional”, promovida pela EPRAL, na Fundação Alentejo, em Évora, no dia 5 de junho.

Alexandre Oliveira, Presidente do Conselho Diretivo foi moderador do debate realizado na iniciativa que contou com a abordagem de vários painéis. A Escola Profissional da Região Alentejo teve como objetivo proporcionar, com a iniciativa, uma reflexão partilhada em torno da implementação do Projeto de Autonomia e Flexibilidade Curricular, e perspetivar o futuro no âmbito do desenvolvimento curricular.

GRUPO PESTANA – Projeto Piloto

Qualificar para Crescer é a designação do Projeto Piloto levado a cabo pela Escola Técnica Profissional da Moita e pelo Pestana Hotel Group e que se baseia no desenvolvimento de turmas do Curso Profissional – Técnico de Restaurante/Bar e do Curso Profissional – Técnico de Cozinha/Pastelaria.

Da vontade de ambas as entidades, surge a oportunidade de melhorar o alinhamento do percurso formativo dos jovens com o perfil do setor, tornando a aprendizagem mais coerente com as exigências atuais e futuras do mercado. Um investimento considerado mais eficaz e eficiente na formação inicial, diminuindo a necessidade de investimentos dispensáveis após a integração do profissional, tornando os processos de seleção e recrutamento mais longos e, por isso, mais estruturados.

Através de um referencial de formação inovador, integrador e intencional, pretende-se chegar a um perfil que responda ao presente, projetando o futuro e fazendo parte dele. Pretende-se criar valor, para o Grupo, para o setor, para o País, concretizando a melhor aposta que pode ser feita para o crescimento e desenvolvimento: as PESSOAS!

Como? Juntando o melhor de dois mundos! Uma equipa pedagógica com mais de 1.356.000 horas de volume de formação capacitada para a implementação de processos de ensino-aprendizagem inovadores, integrada com a equipa de profissionais e especialistas do Grupo Pestana, de referência nacional e internacional, neste setor.

EL CORTE INGLÊS – Projeto Piloto

O Grupo El Corte Inglés – Portugal juntou-se à Escola Técnica Profissional da Moita no desenvolvimento de um projeto que consiste na formação do ensino profissional, na área de Cozinha/Pastelaria e Restaurante/Bar, integrado num modelo específico – Work Based Learning – baseado também numa articulação entre as duas instituições.

Além de possibilitar um melhor alinhamento ao longo do perfil formativo do jovem com o perfil do setor e uma aprendizagem que vai ao encontro das exigências e desígnios do Grupo El Corte Inglés, este projeto aposta na construção de um referencial integrador, criando valor no crescimento e no desenvolvimento das pessoas.

Os resultados encontram-se na teia de relações que fortalecem o caminho para o sucesso. Assim, os Parceiros de Excelência são todos aqueles que, com a Escola Técnica Profissional da Moita, trabalham para a existência de uma comunidade global em plena formação e desenvolvimento, tornando os jovens cada vez mais aptos, enquanto cidadãos ativos.

PROLAB

No âmbito do Portugal 2020 através do POR Lisboa, a Escola Técnica Profissional da Moita viu aprovada uma candidatura a Fundos Comunitários que vai permitir a constituição de um ProLAB – Laboratórios de Aprendizagem para o Ensino Profissional, criando condições para o exercício de um método mais científico e experimental, com espaços que permitem a criação de novos produtos, investigação e desenvolvimento nas respetivas áreas de formação.

Com o objetivo de criar as condições, no nosso campus escolar, que potenciem o desenvolvimento do pensamento científico, do espírito crítico e capacidade de resolução de problemas, a Escola Técnica Profissional da Moita (ETPM) pretende, com a possibilidade de investimento nas infraestruturas educativas, adotar uma nova configuração de espaços de aprendizagem e novos ambientes indutores de métodos ativos e de atividades experimentais.

Para a promoção e construção de um perfil de aluno do século XXI, a ETPM vai equipar os espaços de forma a promover uma ligação permanente ao mundo digital e global, uma conexão integrada e coerente com as possíveis sinergias com os vários parceiros, atuais e futuros, uma maior flexibilidade na definição de objetivos e estratégias de ensino e um maior significado para as aprendizagens integradas num trabalho colaborativo entre alunos e equipa pedagógica. O ProLAB vai beneficiar todos os alunos dos cursos profissionais em funcionamento na ETPM, assim como parceiros, empresas, associações, instituições, universidades e institutos politécnicos.

Os equipamentos ficarão ainda ao dispor de empreendedores, alunos/diplomados da ETPM que pretendam testar ou lançar novos negócios respondendo às áreas e domínios prioritários da Estratégia Regional de Especialização Inteligente de Lisboa.

EDUCAÇÃO INCLUSIVA – Projeto Piloto

Este projeto envolve a Escola Técnica Profissional da Moita, a Direção Geral de Educação, a Direção Geral dos Estabelecimentos Escolares, a Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional e a Área Metropolitana de Lisboa, conta ainda com o envolvimento da Escola Artística António Arroio, o Agrupamento de Escolas Amadora Oeste e da Escola Secundária Ferreira Dias. Pretende-se refletir sobre a operacionalização dos desígnios de uma Educação Inclusiva nas modalidades de dupla certificação.

Enquadra-se a revisão do Manual de Apoio à Prática, no âmbito da Educação Inclusiva, no qual a nossa Escola teve um papel ativo, tentando aproximar o máximo possível de uma leitura mais transversal que incluísse, também, o Ensino Profissional.

O Ensino Profissional em Portugal é o expoente máximo da inclusão pela sua estrutura modular e flexível que, de forma estrutural, permite desenvolver a diferenciação pedagógica que se constitui como a mais elementar ferramenta potenciadora da inclusão e que, neste documento, está enquadrado nas medidas universais.